Da Partida – parte I

golias
Brasília sua Linda! Adoro teu céu, teu cheiro, tuas curvas e retas, teu concretismo futurístico, teu verde horizontal,
Brasília sua Linda!
Me deste caminhos, amores, sabores, conhecimentos…
Brasília Sua Linda!
Tem horas que o viajante precisa partir
Brasília Sua linda!
Ainda vou te descobrir naquele cerrado que parece que vai em lugar nenhum e de repente me acolhes com uma cachoeira,
outras com a paixão,
outras com as reflexões da solidão…
Brasília sua Linda!
A viajante que cavalga em seu signo de fogo
onde o mapa astral diz que tem no sol o lombo vadio
Brasília é hora de partir!!!
Semear outras terras, outros ares…
Agradeço a ti Brasília, a meus afetos
meus desafetos, tudo que aqui aprendi
Aqui cresci, aqui me tornei mulher
sabedora de mim
por isto Brasília
vou me despedir
Já não tenho muito tempo
para acompanhar o tempo de quem nem conheci
o tempo é atemporal
mas o espaço físico, os sentimentos são reais
a intuição é mais
e quando o Orí Chama, clama por partir já é hora
de fazer os “cofinhos” aprendi esta palavra aqui…
e partir….
Brasília que me fez chorar, mas que me faz muito mais sorrir…
Leila Negalaize Lopes